Com pouco mais de 2450 sistemas autônomos ativos (AS, na sigla em inglês, que é a unidade funcional de roteamento Internet), o Brasil paga ainda muito caro pela interconexão dos dados trafegados. E não são apenas os provedores que estão fora do jogo. O governo também tem uma participação muito abaixo da esperada. O alerta foi dado pelo gerente do PTT.br, Eduardo Reis, durante o evento Congresso dos Provedores Internet, realizado na semana passada, em São Paulo.

Segundo ele, essa é a principal razão para o tráfego Internet ‘viajar’ no Brasil. Reis exemplifica a função do AS. “Em Manaus, por exemplo, só há um AS. Se houvesse dois, três, o tráfego da Internet local não precisaria sair de Manaus, viajar até São Paulo e voltar. Isso é um custo muito caro. E a falta dos ASs é uma realidade nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste”, adverte o especialista.

O presidente da Abranet, Eduardo Neger, admite que o Brasil – que hoje possui cerca de 4000 provedores Internet – têm poucos atuando como AS, uma vez que entre os 2450 existentes há universidades, bancos e grandes empresas, como Petrobras. “Não é pelo custo do roteador. Isso se resolve. Mas esse sistema exige um profissional capacitado que, hoje, é caro e muito disputado. É mais fácil terceirizar isso para as grandes operadoras”, diz o executivo.

Reis questiona ainda a não participação das empresas de Informática e, em especial, das que trabalham no Governo, nos âmbitos municipal, estadual e federal. “A maioria não é um Sistema Autonômo”, lamenta. Para se cadastrar como sistema autônomo, as empresas precisam pagar taxas ao CGI.br, mas Reis garante que esse não é o maior problema. “O problema é que a empresa tem que treinar pessoal e ter equipamento, pois ele assume responsabilidades que antes repassava para o provedor. Ele ganha benefícios, mas assume responsabilidades”, completa.

A formação de mão de obra para a Internet é um dos pontos do evento Desafios e Oportunidades: Profissionais de Internet, que acontece nos dias 10 e 11 de abril, em São Paulo, com a organização da Abranet. Um curso técnico sobre o tema “Boas práticas para Sistemas Autônomos (o que está sendo chamado de BGP)”, está agendado para o dia 11. Para participar, clique aqui.

 

Fonte: Convergencia Digital

Oliveira Lima

Oliveira Lima

Oliveira Lima atua na área de segurança da informação há 10 anos, especialista em Pentest, Analise de vulnerabilidades e Hardering. Dedica-se também a pesquisas e analise de malware. Criou o Blog roothc.com.br, com intuito de manter o publico atualizado sobre noticias do mundo Linux e hacking, alem de dividir conhecimentos e propor debates.
Oliveira Lima